Porta da Estrela
Edição de 31-10-2017
Secções

Pesquisa

Utilidades
Subscrever RSS Subscrever RSS
Arquivo
Inquéritos
Última Hora
Pesquisa Avançada
Futebol
Farmácias
Tempo
Registo
Estatuto Editorial
Ficha Técnica
Assinaturas
Links

Registo

Arquivo: Edição de 31-07-2017

SECÇÃO: Local

Multidão no funeral de José Hortênsio

Multidão acompanhou corpo de José Hortênsio, incansável promotor e dinamizador da Cultura em Seia
Multidão acompanhou corpo de José Hortênsio, incansável promotor e dinamizador da Cultura em Seia
Uma multidão, entre familiares, amigos, colegas músicos e dirigentes culturais e associativos juntou-se, dia 21 de Julho, na Igreja Nossa Senhora do Rosário e no Cemitério de Seia, para acompanhar o corpo de José Manuel Mendes Hortênsio, que faleceu aos 88 anos vítima de doença oncológica.
José Hortênsio, também conhecido como José Ceira, era um catedrático e auto-didacta da música ligeira, tendo-se jubilado aos 80 anos de idade com quase sete décadas de actividade musical.
José Hortênsio teve uma vida preenchida na actividade musical desta terra, tendo passado por todas as colectividades que em Seia tiveram existência no sector da música. Começou a enamorar-se pela música na antiga Banda Filarmónica dos Bombeiros Voluntários de Seia, que veio dar lugar à Banda de Seia. Para além das três bandas da cidade: Bombeiros Voluntários, Banda da Empresa Hidroeléctrica da Serra da Estrela e Banda de Seia, participou esporadicamente nas bandas filarmónicas de Arcozelo da Serra, Gouveia, Paços da Serra e Moimenta da Beira e foi executante de trompete, saxofone alto e saxofone tenor durante largos anos nos grupos musicais Os Danadinhos da Folgosa do Salvador, Sena Jazz, Ases do Ritmo e Diapasão.
Fez parte da fundação da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Seia, foi director da Banda de Seia e do Rancho Folclórico. Foi nos últimos anos dirigente e coralista do Orfeão de Seia, envolvendo-se sempre com muito afinco, como era seu hábito, na organização dos vários festivais de Música Coral em Terras de Sena, mas a menina dos seus olhos foi a Orquestra Juvenil da Serra da Estrela, onde era dirigente e executante, tendo sido um incansável promotor do Festival Nacional de Orquestras de Música de Seia, razão pela qual merece todos os elogios pela dedicação e contributo à cultura que deu a esta cidade.
José Hortênsio foi homenageado durante o VII Festival Nacional de Orquestras de Música de Seia, em Novembro de 2006. Na placa de agradecimento entregue pelo maestro Marco Paulo Santos e pelos membros da Orquestra Juvenil da Serra da Estrela (OJSE) podia ler-se o seguinte: “Oferecemos esta singela lembrança como símbolo e prova do nosso amor e gratidão. Para todos nós foi, é e será eternamente uma pessoa especial. As pessoas especiais são aquelas que têm a habilidade de dividir as suas vidas com os outros… As pessoas especiais são aquelas que realmente tornam a vida mais bela. Sabemos que faz da sua vida um lugar para a nossa. Muito obrigado Senhor Zé”. Três anos depois foi homenageado no decurso do X Festival, após ter anunciado ser aquela a sua última actuação, pela Câmara Municipal e Junta de Freguesia de Seia, pelo seu prestimoso contributo à OJSE. Foi agraciado pela Câmara Municipal de Seia, no Feriado Municipal de 3 de Julho de 2010, com a Campânula Municipal de Mérito e Dedicação.
O corpo de José Hortênsio esteve em câmara ardente na Capela Mortuária da Igreja Nossa Senhora do Rosário, em Seia. Por volta das 16 horas ocorreu a missa de corpo presente, que foi celebrada pelo padre Nuno Maria Silva, Capelão Hospitalar de Seia, que enalteceu os méritos, capacidade e dedicação de José Hortênsio, «Irmão que tanto cantou e louvou ao Senhor, e a presença de muita gente ligada à música é a prova disso mesmo», referiu o sacerdote.
Depois da missa, largas centenas de pessoas integraram o cortejo fúnebre e fizeram a pé o percurso para o Cemitério de Seia, realizando-se aí a última despedida ao grande entusiasta e dinamizador da música nesta terra. Entre a multidão, além de muitos amigos e conhecidos de José Hortênsio, havia dirigentes de várias instituições, destacando-se os cinco estandartes do Orfeão de Seia, da Banda de Torroselo, da Banda de Carragozela, da Banda de Gouveia e da Banda de Moimenta da Serra. No cemitério, ao som de um dos instrumentos que mais apreciou, foi tocada uma marcha fúnebre e o Orfeão de Seia dedicou-lhe uma última homenagem entoando duas peças musicais, com destaque para a Canção a Seia, que terminou com uma longa salva de palmas.
A direcção, redacção e órgãos sociais do jornal Porta da Estrela endereçam à família as sentidas condolências.

Siga-nos no twitter

Úteis

O Meu Jornal

Notícias Relacionadas

Subscreva as nossas noticias via RSS

Produzido por ardina.com  
© Porta da Estrela - Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.
Email do Porta da Estrela: geral@portadaestrela.com.
  Topo